terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Declinação

Poema de Gilberto Mendonça Teles, Declinação, musicado por mim:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=6ktwbk7Y_vw

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Borboletas Quando Choram


Ela não conseguia dormir aquela noite. O vazio voltara a incomodá-la. Tinha coisas na vida que não tinha como mudar: as escolhas e suas eternas responsabilidades...

Virou o travesseiro por diversas vezes. Tentou telepatia e pediu que ele a visitasse em seus sonhos. Mas o sono não vinha. Deitou pra baixo, pra cima, tirou o lençol, se cobriu novamente... Até que apagou, deitada no chão, sobre um travesseiro.
E ele veio. Mais uma vez, atendendo ao seu pedido. Nunca escondeu o seu amor. O mesmo olhar... Dormiu com ela, mas sem tocá-la. Mais uma vez ele chorou. Ela também, mas não disse nada, porque prometeu respeitá-lo.
Antes de ir embora, ele deu um beijo rápido em sua boca e uma borboleta sobrevoou os dois.
Ela levantou-se do chão e gemeu de dores nas costas. Correu para o computador e olhou a caixa de e-mails. Mais uma vez, ele pedia pra que ela se afastasse. Na noite anterior, ela tinha deixado uma mensagem de carinho.
Ela suspirou... quis dormir novamente, mas se lembrou do beijo...
Sim, aquele beijo tinha o poder mágico do despertar.
E ela acordou para sempre.